INSPIRAMAIS 2021_II - FREE SPIRIT 25 a 27 de agosto de 2020 - 10h às 20h
Conteúdo Voltar

No Camboja, a empresa Samatoa fabrica tecidos ecológicos com fibra de lótus

29 de Julho de 2020
No simbolismo budista, o significado mais importante da flor de lótus é pureza do corpo e da mente. A água lodosa que acolhe a planta é associada ao apego e aos desejos carnais, e a flor imaculada que desabrocha sobre a água em busca de luz é a promessa de pureza e elevação espiritual. A flor em que Buda é retratado sentado, durante séculos simboliza a sabedoria, iluminação e espiritualidade. A fibras de lótus é a matéria-prima mais “espiritual” que você pode encontrar para produzir tecidos éticos e sustentáveis.

A fibra de Lótus na moda 

O uso de fibras de lótus para fabricar tecidos pode parecer exótico no mundo ocidental, mas em países como a Tailândia, Myanmar e Camboja, os aldeões têm usado fibras de lótus para fazer tecidos há séculos. O processo é bastante demorado, mas produz um tecido luxuoso que parece uma combinação de seda e linho. Depois de colher as plantas de lótus dos lagos, os artesãos cortam o final das hastes e puxam as fibras longas e finas do centro. Isso deve ser feito dentro de três dias após o corte ou o resultado não será ideal.

A Samatoa é uma empresa social de têxteis (fabricante de roupas de seda e outras fibras naturais) fundada no Camboja em 2003 nos três pilares do desenvolvimento sustentável: eficiência econômica, equidade social e proteção do meio ambiente. Desde 2003, os valores fundadores da Samatoa são: a satisfação do cliente, a qualidade impecável dos produtos combinada com um respeito sustentável, ambiental e social. O cerne da experiência da Samatoa se baseia em suas oficinas nas quais os agricultores, os fiandeiros, os tecelões, os alfaiates e os parceiros compartilham diariamente as mesmas ambições.

Um dos objetivos da Samatoa é conectar o mercado de luxo às pessoas mais pobres: comprando uma jaqueta, o consumidor fornece 2 meses de trabalho. A principal fazenda Lotus está localizada em Battambang, em torno de um incrível lago gigante. Dadas as necessidades de produzir tecidos de lótus em quantidade para clientes sofisticados, a empresa criou uma segunda em Siem Reap, perto de Phnom Krom. Neste local, Samatoa agora colhe 20 hectares do lago Lotus, emprega 30 agricultores, fiandeiros e tecelões.

Uma produção significativa

A flor de lótus é o símbolo da pureza divina em muitas culturas asiáticas, aparecendo nas mãos do Buda sagrado. Historicamente, era usado para fazer mantos para monges budistas de alto escalão. O Lotus desempenhou um papel importante no folclore asiático e é um ícone particularmente importante nas casas de muitos tecelões.




A colheita das hastes de lótus 

A fibra de lótus vem exclusivamente da Lotus Sagrada, que fornece a fibra mais macia, respirável e brilhante. Os agricultores selecionam as hastes de acordo com seu nível de maturidade. Eles são colhidos de barco, 4 vezes por dia, 1 tonelada por semana. Os campos de lótus são totalmente transplantados a cada três anos para preservar a melhor qualidade. O primeiro segredo comercial do tecido de lótus é transformar as fibras em fios, conservando todas as suas propriedades: como planta aquática, as fibras de lótus devem ser extraídas e transformadas em meio. Após a colheita, as hastes são trazidas para a fábrica, onde são limpas para retirar os espinhos e as impurezas antes da fiação.

A fiação, uma etapa crucial do processo

A fiação é o estágio que consiste em transformar a fibra de lótus em um fio. Após a limpeza, os fiandeiros cortam cuidadosamente as hastes e puxam suas extremidades para extrair as fibras de lótus. Doze camadas de fibra devem ser sobrepostas e enroladas com precaução e precisão para produzir um fio de alta qualidade. O segundo segredo comercial está alinhado com o que é provavelmente a parte mais meticulosa do processo: juntar os diferentes pedaços de linha sem junção visível e sem nenhuma fraqueza. Sem essa atenção, ele se romperá durante a tecelagem e diminuirá a qualidade do tecido. Um metro de tecido de lótus precisa de 3000 metros de fibras de lótus.

Quando o fio termina, ele é enrolado em um enrolador de meada e seco. Um fiandeiro produz 250 metros de fio por dia. Para produzir uma jaqueta, são necessários 4 metros de tecido ou 12.000 metros de fibra, o que significa 2 meses de trabalho para um fiandeiro. Devido à sua complexidade, esse processo deve ser realizado exclusivamente à mão.
E o fio de lótus se torna tecido: a tecelagem

Antes de tecer, o fio é torcido para aumentar sua força e depois enrolado em um novelo algumas vezes. Então, a preparação do tear leva 15 dias. Um rolo de tecido de 50 metros é tecido em 2 meses. Este fio torcido é enrolado em bobinas colocadas numa lançadeira de madeira que é enviada através do espaço formado pelos fios. O tecelão muda a posição dos pedais e repete o mesmo movimento. Um tecelão produz um metro de tecido de lótus por dia.





Um tecido com propriedades notáveis

O tecido Lotus tem propriedades únicas: é um tecido macio, leve e respirável. É um tecido super ecológico pois:

– Não contém produtos químicos ou tóxicos,
– O processo de fabricação não requer energia a gasolina, gás ou eletricidade,
– Não usa água,
– A flor de lótus é uma planta fitossanitária eficiente que limpa a água e protege o ecossistema preservando peixes e insetos,
– Todo o processo de fabricação é totalmente sustentável.


Fonte: Stylo Urbano
Newsletter
Follow Us