Voltar

Notícias

31 de Janeiro de 2017

Moda: inspirações para 2018

Em busca de uma moda genuinamente brasileira, o Inspiramais - Salão de Design e Inovação de Componentes reuniu toda a indústria da moda do país: num mesmo espaço, estiveram presentes seis mil visitantes e expositores do vestuário, componentes, mobiliário, joias e calçados, pensadores e profissionais de moda, designers e as principais empresas e marcas do país e América Latina. 

Foram dois dias para pensar moda, por meio de exposições, palestras, espaços temáticos e o lançamento de 780 materiais inovadores e que estarão presentes em todas as coleções do Verão 2018, seja nos looks, nos acessórios, nos calçados e nos mais diversos produtos das empresas que compõem o Sistema Moda Brasil. 

Walter Rodrigues, estilista e coordenador do Núcleo de Design da Assintecal sintetizou em uma frase o que representou o Inspiramais “Muita cor, muita gente bonita, uma energia positiva e a consciência de que juntos somos singulares”.

“O Verão 2018 está intenso!”, afirmou Walter Rodrigues, estilista e coordenador do Núcleo de Design da Assintecal, que apresentou durante o Inspiramais palestra de inspirações Verão 2018. Segundo a pesquisa do Núcleo, o verão 2018 tem três pilares inspiracionais, divididos em uma pirâmide: 10% representa a criação autoral, adaptando a tradição aos dias de hoje; 30% é a aposta, ou seja, o desenvolvimento do projeto/produto, e indica ser emocional, valorizando as raízes e a flexibilidade; e 60% é a massificação, com efeitos de luminescência, camuflados, pop art e artes gráficas. 

A chegada do setor têxtil trouxe para o Inspiramais um espaço exclusivo para os expositores têxteis e a ampliação do projeto “+ Estampa”, com 9 estúdios de estamparia agregando também oportunidade para que fabricantes têxteis produtores de componentes se inserissem no Salão por meio de uma parceria com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit).

Nos corredores era possível encontrar com designers, diretores de branding e estilistas de marcas como Animale, Le Lis Blanc, Track&Field, Cantão, Bobstore, C&A, Schutz, Dakota, Cristiano Bronzatto, diretor criativo da Louloux, Guilherme Brammer, CEO da WiseWaste, André Carvalhal, Chiara Gadaleta, Cris Guerra, Eloisa Artuso, co-fundadora da UN Moda Sustentável, Isabela Capeto e tantas outras.

Report/ Moda Inspiramais
A sustentabilidade em todos os processos produtivos foi, sem dúvidas, a maior inspiração apresentada. 

Por meio dos projetos Mix by Brasil, Origem Sustentável, EcoDesign e Saberes Manuais, os visitantes puderam conhecer novos olhares e propostas para o Sistema Moda.  

AFRO-INSPIRAÇÃO PARA O VERÃO 2018
Jefferson de Assis também está à frente do projeto Mix By Brasil, que a cada semestre percorre o país em busca de artesãos abertos à integrar sua arte ao desenvolvimento fashion de produto. Nesta edição, um dos destaques foi o ateliê OFA OJU, de São Paulo, do paulista Rafael Cruz, que buscou na utilização dos búzios a construção de calçados e acessórios para o verão 2018. “A cultura afro-brasileira é tão presente em nossas vidas e integrá-la à moda foi algo importante a se fazer”, contou Jefferson. 

Participaram também do Mix By Brasil os ateliês Damas & Tramas do Rio Grande do Sul, que apresentou acessórios feitos com tricô, crochê e bordado, ateliê Cajuvida de Presidente Prudente (SP), que surpreendeu ao apresentar brincos, gravatas e acessórios com aplicação de macramê; e o ateliê Cores da Mata, do Acre, presente desde as primeiras edições do projeto, que trouxe propostas de bolsas e acessórios feitos com fibra de madeira. 

BY ISABELA CAPETO 
Colocando em prática os processos sustentáveis ao fazer moda, a estilista Isabela Capeto reuniu em sua exposição protótipos de calçados, acessórios, roupas e objetos feitos a partir do reaproveitamento e tratamento de materiais de protótipos já desenvolvidos em outras edições do Inspiramais, criando nova coleção a partir da transformação de materiais.

“Sempre trabalhamos com solventes à base de água, produtos chrome free e tanantes vegetais, mas desta vez, além das composições diferenciadas, acrescentamos ao processo do desenvolvimento a reutilização de materiais, tornando o processo ainda mais correto”, contou Isabela Capeto. 

Tecido de Bactérias - Uma bolsa clutch feita com um não tecido, desenvolvido a partir da criação laboratorial de bactérias que se alimentam de açúcar e chá foi um dos destaques do projeto Saberes Manuais, coordenado pela estilista e consultora da Assintecal Flávia Vanelli.

À frente desta criação está a diretora de arte e bióloga Irene Flasche, que desenvolveu esta proposta de tecido inteligente e tecnológico como proposta para a próxima estação. “A sustentabilidade está ligada também aos processos inteligentes que minimizam os impactos ambientais”, esclareceu Irene. 

O Saberes Manuais trouxe também trabalhos desenvolvidos por comunidades de Santa Catarina, como Indígena Guarani Carijós de Barra do Sul, Mulheres do Frei, de Palhoça, Fios e Flores de Joinville. 

MAIS UM POUCO DE WALTER RODRIGUES
No espaço Banco do Vestuário por Walter Rodrigues, os visitantes puderam aproveitar um pouco das criações de Walter Rodrigues e seu trabalho que reuniu a criação de looks a partir da reciclagem de tecidos descartados por tecelagens. Foram três criações retiradas de seu desfile voltado ao Projeto Eco Fashion, apresentado pela primeira vez em 2016 em Caxias do Sul (RS) e que deram todo o frescor e referência de criação e aplicação a partir de resíduos e sobras de materiais.

LEVEZA PARA O INVERNO 2018
“Leve como o Couro!” – Segundo Marnei Carminatti, consultor do Núcleo de Design da Assintecal, o Projeto Preview do Couro Inverno 2018, realizado pelo Centro das Indústrias de Curtume do Brasil (CICB), sugere couros com aspecto mais leve, como bolhas de ar, materiais com aspecto soft e delicado. “Cada curtume trabalhou texturas e lavagens diferentes, sempre com o foco na delicadeza e leveza”, contou. 

Para o Preview do Couro, a estamparia foi desenvolvida em parceria com o + Estampa, projeto do Inspiramais também direcionado para a mesma estação. “Queremos mostrar que é possível aplicar o trabalho de estamparia também no couro, produzindo materiais diferenciados para o mercado interno e internacional”, acrescentou. 

CORES E FORMAS
Na estamparia, com o objetivo de exaltar a inovação e a criatividade brasileiras, no combate à cópia e pirataria, o projeto + Estampa reuniu nove estúdios para a apresentação de estampas inovadoras alinhadas ao inverno 2018: TexTrend (Rio de Janeiro), Estúdio Capim (São Paulo), Estúdio Graphique (São Paulo), Estúdio ICertain (São Paulo), Estúdio Lamparina (São Paulo), Estúdio Dash (Balneário Camboriú), Estúdio Aurum Brasil (São Paulo), Estúdio Rapport (São Paulo), Estúdio Casca (São Paulo).

“Nossa brasilidade é o atrativo mais original, são formas e cores que podem fazer de qualquer criação uma peça diferenciada. E queremos incentivar com o + Estampa a criação e utilização da estamparia brasileira e com nossas características regionais”, conta Lucius Vilar, coordenador do projeto. 

REFERÊNCIAS BRASILEIRAS
Para falar em brasilidade, o Referências Brasileiras buscou nas entranhas de Pernambuco inspiração para o Inverno 2018: bolsas, calçados e roupas ganharam leveza quando integradas ao frevo, que sugere cores e alegria. 

“O inverno 2018 sugere como palavras-chave o equilíbrio, miniaturização, borbulhas, elasticidade e esqueletização. Trouxemos para o Referências todos os atributos de moda aplicados ao carnaval pernambucano, um aspecto da cultura brasileira que é valorizado e disseminado pelo mundo”, esclarece Jefferson de Assis, estilista e consultor da Assintecal responsável pelo Referências Brasileiras. 

PALESTRAS – Foram também dois dias que reuniram os principais pensadores e profissionais da indústria da moda brasileira: na Arena de Inovação estiveram presentes Cristiano Bronzatto, diretor criativo da Louloux, Rozalia Del Gaudio, da C&A, Edmundo Lima, diretor-executivo da ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil), Guilherme Brammer, CEO da WiseWaste, André Carvalhal, publicitário e jornalista, Chiara Gadaleta, consultora de estilo e criadora da Eco Era,  Bruno Valerim, Sales Intelligence da TNS, Álvaro Flores, coordenador do CSCB, Walter Rodrigues, estilista e coordenador do Núcleo de Design da Assintecal, entre outros.

Todas as exposições convergiram às questões de sustentabilidade na moda e suas implicações em todos os elos da cadeia: desde a indústria até seus impactos no consumidor final.

Compartilhe

OPS!